Entenda o uso da crase

O uso da crase gera polêmica na língua portuguesa, carregando consigo muita importância e dúvidas quanto ao adequado uso. 

Ela é a fusão de dois sons do “a”, em que um deles é obrigatoriamente o som da preposição a; o outro som pode ser o do artigo a, o do pronome demonstrativo  a  (redução de aquela), ou o da primeira sílaba dos pronomes demonstrativos  aquele, aquela (e seus plurais) e aquilo. Dessa forma, crase é o nome do fenômeno em que há, na maioria das vezes, junção de artigo e preposição. O acento que marca tal fenômeno é denominado acento grave (` ).

Regras quanto ao emprego nos casos em que a crase é facultativa, em que ela é necessária e nos casos em que ela nunca deve aparecer.

Casos em que a crase é facultativa

Antes de pronomes possessivos femininos

Ex.: Levaremos o livro à (a + a) sua casa.

Ex.: Levaremos o livro a (só preposição) sua casa.

Antes de nomes próprios femininos

Ex.: Desejo tudo de bom à (a + a) Ana.

Ex.: Desejo tudo de bom a (só preposição) Ana.

Casos especiais em que ocorre a crase

Em locuções com núcleos substantivos femininos

Ex.: à caneta / à gasolina / à tinta / à medida que

Antes de substantivos masculinos quando estão subentendidas as palavras “moda” ou “faculdade” (ou empresa, escola e análogos)

Ex.: Ele escreve à Rui Barbosa. (à moda de Rui Barbosa)

Em topônimos (nomes de lugares) só ocorrerá a crase se for antecedido de artigo a

Ex.: Vou à Itália. (Ir a + a Itália).  (Eu vim da Itália – da: preposição de + artigo a)

Ex.: Vou a Portugal. (Ir a + Portugal).  (Vim de Portugal – de: só preposição)

Antes da palavra casa

Quando tem a acepção de lar, morada e não vem acompanhada de algum termo restritivo ou modificador, a palavra casa não é antecedida de artigo.

Ex.: Fui a casa apanhar os documentos do carro.

A palavra casa, porém, vem precedida de artigo quando significa edifício, prédio, estabelecimento comercial, dinastia, ou quando se refere a qualquer instituição ou sociedade.

Ex.: Fui à casa de Maria apanhar os documentos.

Antes do pronome relativo a qual

Ex.: A menina à qual me refiro é muito estudiosa. (referir-se a + a qual)

Antes do pronome de tratamento senhora, que é acompanhado por artigo definido

Ex.: Ele explicou o caso à senhora? (explicar a + a senhora)

Porém, os pronomes de tratamento iniciados por pronomes possessivos não vêm antecedidos de artigos, portanto, não ocorre crase antes deles.

Ex.: Ele explicou o caso a Vossa Excelência?

Antes da palavra terra

A palavra terra, na maioria das suas acepções, pode vir precedida do artigo a.

Ex.: Voltou à terra onde nascera. (Voltar a + a terra)

Ex.: O agricultor tem apego à terra. (apego a + a terra)

Quando, porém, a palavra terra opõe-se à palavra bordo, é considerada indeterminada, e não admite artigo nem crase.

Ex.: Logo que o navio aportou, os marinheiros desceram a terra.

Casos especiais em que não ocorre a crase

Antes dos pronomes relativos que, cuja, quem e dos pronomes em geral que não vêm acompanhados de artigo

Ex.: A menina a que ou a quem me referi é minha aluna. (referir-se a + que)

Antes de substantivos femininos no plural, indefinidos

Ex.: Maria tem aversão a festas.

Entre substantivos iguais, formando locução

Ex.: cara a cara / frente a frente / gota a gota / dia a dia

Antes de verbos, situação em que não se admitem artigos

Ex.: Comecei a fazer os exercícios.

Depois de outras preposições, com exceção de até

Ex.: Espero você desde as nove horas.

Importante lembrar que dois conteúdos da língua portuguesa são imprescindíveis para entender melhor as regras da crase: morfologia, para saber a distinção entre artigo e preposição; e sintaxe, principalmente a parte de regência.

Gostou? te inscreve para receber as melhores dicas aqui!